outubro 02, 2008

::: Symphisodon aequifasciatus - Discus :::


Então amigos, como não podia deixar de ser, acabei enveredando no mundo dos discus. Esse FANTÁSTICO peixe que conquistou o mundo é de origem amazônica, motivo pelo qual temos muito que nos orgulhar e principalmente preservar. Após muito observá-los através de fotos e em alguns aquários por aí, estava aguardando uma opotunidade de adquirir alguns. Já tinha inclusive separado um aquário para eles e pesquisado um pouco a respeito. Esse "namoro"(rs) durou alguns meses até que, em uma de minhas andanças, encontrava-me em Belém-PA, estado incrustado na floresta amazônica e que em algumas regiões são coletados alguns discus para exportação, como as cidades de SANTARÉM, TEFÉ e ALENQUER . Cidades inclusive que dão nome a algumas das variantes de discus.

Estava aí a oportunidade que eu precisava para procurar algumas informações sobre este animal pelas cidades do Pará. Bastaram algumas conversas com taxistas e alguns outros locais para que, com facilidade, encontrasse o que eu queria. Rapidamente estava em uma loja no centro onde tinha acabado de chegar uns 30 a 40 discos Selvagens, todos grandes amarelos( ou marrons, ou castanhos - como alguns preferem) lindos, lindos. Tinham todos pelo menos 10cm, e acho que tinham outros com até 14cm. Segundo a vendedora, eram de cativeiro e tinham vindo de uma fazenda de tanques artesanais da cidade de Manaus. Agora imaginem comigo, tanques preparados diretamente no solo às margens dos igapós-um de seus habitats naturais.

Estava impressionado e com vontade de comprar uns 10, mas resolvi andar mais um pouco para conhecer outros lugares. Estive em uma feira de peixes onde tinham outros lindos também, mas por fim acabei voltando à primeira loja pois tinha realmente os melhores selvagens amarelos da cidade. Acabei comprando 3 deles por fim. Tinham certificado de saúde sanitária e Nota Fiscal. Até porque se não tivesse possivelmente não compraria pois a probabilidade de terem sido capturados na natureza aumentava e muito.


Não queria e não quero de modo algum alimentar esse mercado que coloca em risco de extinção a nossa fauna, como acontece hoje com o acari zebra(Hypancistrus zebra), espécie endêmica da Bacia do Xingú e exportados clandestinamente a preços astronômicos . Vale lembrar ainda que sua comercialização está inclusive proibida pelas autoridades brasileiras. (fotos ilustrativas da net)




Mas enfim, voltando aos Discus, ao chegarem a sua nova cidade, Cidade Maravilhosa, foram quase 20 dias para começar a comer. Não pegavam nada, COLORBITS, SERADISCUS, artêmia congelada, Blood Worm, nada! Quando comeram pela primeira vez foi um alívio, comeram artêmias vivas e algumas larvas de mosquito.

Hoje, quase 3 meses depois, quase não comem ração mas estão bem e adaptados. Tirei muitas fotos, estas abaixo são umas das melhores e mais inusitadas deles. Trio parada Dura!





Espero que gostem das fotos e dos peixes, assim como eu! rs...

Abraços


3 comentários:

eduardo disse...

maneiro eu tabem clinho peixe
tou criando Japones eu tambem ja
clirei beta

magoodowns disse...

agora com esse consorcio desta usina hidroeletrica no xingu o que sera que vai acontecer?

Chef de Casa disse...

cara, lindo de mais esses discus. Tu nao tem o contato da loja que combrou?
Abracos, tiago.